Esclerose Múltipla

A esclerose múltipla é uma doença de caráter inflamatória e também crônica. Ela afeta diretamente o nosso cérebro e também a medula espinhal, ou seja, onde está o nosso sistema nervoso central. Ela é autoimune, isso porque o nosso sistema imunológico acaba confundido as nossas células saudáveis como perigosas, atacando-as. Dessa forma, o sistema acaba corroendo toda a bainha protetora capaz de cobrir os nossos nervos, chamadas de mielinas.

Os principais danos causados pela esclerose múltipla são ao nosso cérebro, já que a comunicação entre o nosso corpo e ele acaba saindo como a principal prejudicada. Em um estágio mais avançado da doença há até mesmo a possibilidade da deterioração completa dos nervos, o que gera um processo totalmente perigoso e irreversível.

Esclerose Múltipla

Com o passar do tempo e com o desenvolvimento gradativo da doença, muitas são as lesões provocadas no nosso cérebro e sistema nervoso central. Tais feridas podem até mesmo levar a perda de grande parte da nossa massa cerebral, assim como a própria atrofia deste órgão. De uma forma geral, um paciente que desenvolve a esclerose múltipla pode perder o volume do seu cérebro com aproximadamente 5 vezes mais rapidez do que o normal.

Sintomas da esclerose múltipla

No início da doença, os sintomas são bem sutis e dificilmente o indivíduo perceberá que adoeceu. Isso porque eles são bem transitórios, ocorrem a qualquer época e duram entre 7 e 10 dias. Isso faz com que muitos pacientes acabem deixando de lado essas primeiras manifestações, e os sintomas acabam vindo e voltando sem qualquer tratamento ou até mesmo preocupação por parte do indivíduo infectado.

Entre os principais sintomas estão a falta de equilíbrio constante, a perda da força dos músculos, formigamentos na pele (principalmente nas regiões mais sensitivas, como no rosto), fadiga, espasmos musculares, problemas sexuais, dores crônicas, incontinência urinária e até mesmo transtornos emocionais, como o estresse frequente ou a própria depressão.

Com o passar dos anos e evolução da doença, é possível desenvolver sintomas ainda mais agravantes, como cerebelares, sensitivos ou motores. Entre eles estão a perda de visão, desequilíbrio constante, descontrole ou tremor dos esfíncteres.

Algumas curiosidades

A esclerose múltipla é uma doença que se desenvolve principalmente entre as pessoas mais jovens, com cerca de 20 a até 30 anos. Ela provoca principalmente dificuldades sensitivas e motoras, motivo pelo qual costumam ser percebidas assim que começam a se manifestar com maior força.

A causa da doença é totalmente desconhecida. Porém, o que se sabe é que a sua evolução varia muito conforme cada indivíduo: a doença é mais comum em pessoas com a pele branca, em mulheres e em indivíduos que residem em zonas temperadas.

O diagnóstico da doença é quase que unicamente clínico, apesar de ter também exames de imagem como complementos, como uma ressonância magnética, por exemplo.

Por fim, vale destacar que a esclerose múltipla é uma doença relativamente comum, já que atinge algo como 2,5 milhões de indivíduos em todo o território mundial. Como a doença é crônica, ela não conta com a possibilidade de cura. Mas os seus tratamentos podem auxiliar tanto no controle dos sintomas, como também na redução do desenvolvimento gradativo da doença.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.