Dominio: saudenocorpo.com
Chave: 551eaec2ada22cab6158c5b90561a1f4a1415d7a
Hora do cache: 1480808842
Vida do cache: 1482104838
Status: 1
Mensagem: Licença válida
Chave do Pedido: 06edfff39384f069d6b8da8be1ebde6bffc7fa85
Chave do Produto: PROKEY
Scroll Top

Quais os sinais e sintomas do sarampo

Mortal, altamente contagiosa e perigosa para o desenvolvimento da criança, o sarampo ficou marcado como um tipo de doença prioritariamente infantil. Apesar de todos os problemas causados e o alto grau de periculosidade dos seus efeitos no organismo, o sarampo se tornou uma doença superada principalmente no 1º mundo. Os locais que ainda hoje sofrem com os efeitos da doença são alguns países da África e regiões da América Central e da América do Sul, demonstrando que o subdesenvolvimento da economia acaba afetando significativamente o controle e a erradicação do sarampo dentro de uma sociedade.

Na prática, o sarampo aparece em todos os países. Porém, apenas nos países de terceiro mundo e subdesenvolvidos é que a doença causa um maior número de mortes. Apesar disso, o Brasil é uma exceção, pois a taxa de mortalidade da doença chega a menos de 0,5%, uma meta altíssima, mas que tem cada vez maiores possibilidades de diminuir até chegar ao zero.

Mesmo com todo o controle e com as extensas campanhas federais desenvolvidas para incentivar o cuidado, a vacinação, a prevenção e a propagação de informações sobre o sarampo, recentemente percebemos um surto de crianças sofrendo da doença, o que ligou novamente o alerta vermelho do país. Mesmo que a taxa de mortalidade destes casos tenham ficado extremamente baixa, todo cuidado tem sido pouco, e o sarampo voltou a ser objeto de discussão dentro do sistema público de saúde.

Como informação faz toda a diferença, vamos conhecer um pouco mais sobre esta doença. Seus sintomas, suas causas e, principalmente, as formas de prevenção.

sarampo infografico

sarampo infografico

Entendendo o sarampo

Conhecida popularmente como a doença das bolinhas vermelhas, o sarampo é, na verdade, uma doença infectocontagiosa, que tem origem em um vírus chamado Morbillivirus. Um dos maiores problemas do sarampo é a sua transmissão, pois acontece de uma pessoa para outra através de secreções do nariz e da boca.

A princípio, o sarampo se confunde mesmo com outras doenças mais inofensivas à saúde, tais como resfriados, gripes e baixa imunidade. Justamente por isso, é comum que a infecção se propague de maneira rápida, sendo difícil detectar todos os possíveis destinos que o vírus chega através de um único paciente.

O Morbillivirus entra no organismo de maneira prematura, e leva cerca de 13 dias para se desenvolver. Neste período, a saúde do infectado passa a definhar. Isso significa que, na prática, a pessoa tem um período de quase duas semanas para propagar o vírus do sarampo, estendendo os problemas para outras pessoas e muitas vezes podendo agir de maneira muito agressiva no caso de pessoas que estejam com a imunidade baixa por conta da recuperação de outras doenças como gripes e resfriados.

Os sintomas do sarampo

Por ser uma doença que age rápido no organismo, o sarampo causa rápida debilitação da saúde do indivíduo, levando a perdas significativas de líquido, o que pode inclusive causa a desidratação. De maneira geral, febres altas que ficam acima dos 38º C, tosse, nariz escorrendo, conjuntivite, aparecimento de manchas brancas na boca e pequenas manchas vermelhas no corpo são as principais características desta doença, porém, estas manifestações podem ou não ocorrer em períodos diferentes. Na verdade, o sarampo é dividido em três fases:

• Fase 01: infecção – é o período em que o vírus entra no organismo e se aloja principalmente no pulmão, o que começa a causar tosse. Em paralelo, detectando que há algo errado, o corpo manifesta febre, coriza e fotofobia como formas de incentivar o descanso e que os vírus sejam expurgados do corpo, voltando a deixar a saúde em bom estado. A partir do 3º dia, passam a aparecer as manchas vermelhas no corpo, o que é causado pelo corpo enquanto tenta eliminar o vírus do organismo. Coceira, cansaço e sensibilidade também marcam esta fase de disseminação do vírus enquanto a infecção se prolifera.

• Fase 02: remissão – aqui, o corpo já identificou a doença e está começando a reagir a ela. Além disso, o vírus passa a ficar mais fraco, já que os anticorpos começam a agir em favor da saúde. O primeiro sintoma aqui é a diminuição da febre, causando fortalecimento do organismo e a necessidade de reidratação. As manchas vermelhas começam a secar e a escurecer, o que ocasiona muita coceira e desconforto.

• Fase 03: período de proliferação – Por fim, o vírus está sendo totalmente expulso do organismo, o que significa uma melhora no quadro de saúde. Porém, é aqui também que o vírus mais pode se proliferar, conseguindo novos organismos para reiniciar o ciclo. Além disso, como a saúde está muito comprometida com a eliminação do vírus do sarampo, existe grande probabilidade de ser atingido por outras doenças, ou seja, quando o sarampo está sarando, a pessoa está mais sensível a outras doenças e com maior possibilidade de propagar a doença.

Vacina contra sarampo – uma proteção garantida

Por atingir mais as crianças que os adultos, o sarampo acaba recebendo uma atenção especial durante a sua prevenção, o que acarreta no uso da vacinação como forma de evitar que a doença apareça. Essa vacinação acontece em conjunto com a prevenção de outras doenças como a varicela e a catapora, formando a vacina tríplice viral.

Embora seja uma solução altamente confiável, não é raro o caso de pessoas que não tomaram estas vacinas e nunca apresentaram os sintomas de nenhuma destas doenças, assim como acontecem alguns casos de pessoas que já tomaram a tríplice viral e que ainda assim apresentam alguma doença ocasionada por um dos três vírus que está protegido.

No caso do sarampo, é importante o cuidado, pois esta é uma doença que, caso a pessoa não leve o tratamento a sério, pode ser levada a óbito ou a sérias sequelas. Embora o Brasil esteja muito próximo de erradicar o sarampo do país, todo o cuidado com a saúde é pouco.

Por isso, se você tem filho pequeno, dê a vacina tríplice viral, tenha cuidado com a saúde da criança e fique atento a qualquer manifestação de sintomas atípicos. Com isso, a saúde dele estará garantida e blindada contra o sarampo e muitas outras doenças.

Recomendados Para Você:

Seja o primeiro a comentar!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.